domingo, 2 de setembro de 2012

Eduardo Aquino: "Professor não deveria ser chamado de educador"

Nunca me conformei com a denominação "educador" que passou a ser usada para designar profissionais que atuam em escolas, colégios e comunidades escolares.

Sou da época em que professor era mestre e despertava sentimentos como respeito, admiração e até temor. Antes de tudo era uma das autoridades que desde cedo aprendíamos a respeitar, assim como os pais, avós e tias, a quem pedíamos "bênção" bem como respeitávamos a todos os adultos e mais velhos. Infração grave era desrespeitar, gritar e quase impensável agredir, uma pessoa mais velha, os pais ou um professor. Ato intolerável, e uma sequência de punições inevitavelmente seria imposta, sem que houvesse necessidade  deestatutos, conselhos tutelares, ou qualquer entidade semelhante, fora o antigo "juiz de menores" para os sempre existentes infratores e marginaizinhos.

Havia uma ética, uma moral, uma sociedade em que determinados valores era transferidos de geração a geração e crescíamos ainda que com pais distantes, severos e provedores e mães presentes, bravas ou afetivas e professores com vocação e estimulados, impondo respeito e transferindo conteúdo, dando "bomba" para os maus alunos e passando os dedicados e capacitados. A fórmula era simples, não havia o psicologismo dos anos 80 "não puna seu filho" nem o passar de ano automático e por decreto.

Pais educavam!Impunham limites, regras, valores, crenças. Nem sempre corretas, às vezes autoritárias, que à medida que envelheciam iam afrouxando, se tornando mais afetivos e próximos. Mas antes de qualquer coisa, mantinham as regras curtas!

O professor exigia, cobrava, se doava, dedicava para aquilo que era treinado:ensinar. Transferir conteúdo, conhecimento da maneira mais pedagógica e didática possível, se pudesse mesclado com o lúdico e afetivo, mas sem perder a hierarquia e o papel de autoridade.

Veio os anos 90, 2.000, internets, celulares, iPods, iPads, separações, famílias em mosaicos, mulheres provedoras e sem tempo para exercer a maternidade, pais acomodados e separados, que esqueceram de sua prole e da responsabilidade paterna.E para piorar professores doentes físicas e psiquicamente, arrasados, sub-remunerados, ainda são cobrados para "dar um jeito" nos semianalfabetos "passado por decreto", deseducados e nas gangs e tribos, em meio ao bullying, violência e desrespeito, um verdadeiro "climão" pesado, uma fábrica de fazer doido e sendo cobrados para a função de educadores!

Família educa, professor ensina, conselho tutela, policia prende, autoridade se impõe e existe para ser respeitada!

No mais é internet, Youtube, Orkut e Facebook para lançar modismos, tenofismo, invasão de privacidade e um "mundo cão".

A solução está onde os problemas começam: família e escola têm que repensar! E assumir seus papéis antes que o mundo acabe.

Eduardo Aquino (Jornal Super)

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS:

Gostou? Compartilhe com seus amigos. E para receber as atualizações do Blog, com textos como esse, cadastre gratuitamente agora seu Email. Sempre que novos textos forem publicados você receberá em seu Email um aviso. Muito obrigado pelo apoio.

Delivered by FeedBurner

---------------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigado pela participação no Blog. Jesus te abençoe.
Você pode comentar usando o Facebook no campo acima, ou comentar usando uma conta do Google aqui :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...